Principal >> Mundo >> Equador dará a pessoas com imunodeficiência terceira vacina Covid-19

Equador dará a pessoas com imunodeficiência terceira vacina Covid-19

A ministra da Saúde, Ximena Garzon, disse que a terceira dose será administrada três meses após a segunda dose, para pessoas que atendam a determinados parâmetros de distúrbios imunológicos.

Vacina Covid-19, vacinação com CoronavírusO governo está usando vacinas da Pfizer, AstraZeneca e Sinovac como parte de um amplo plano de vacinação que espera impulsionar uma economia que vem lutando há anos e foi duramente atingida pela pandemia. (Representativo)

O Equador administrará uma terceira dose da vacina contra o coronavírus em pessoas com sistema imunológico fraco e fará testes para determinar se o restante da população inoculada também precisa de um reforço, disse a ministra da Saúde, Ximena Garzón, na terça-feira.

O governo do presidente Guillermo Lasso está usando vacinas da Pfizer, AstraZeneca e Sinovac como parte de um amplo plano de vacinação que espera impulsionar uma economia que vem lutando há anos e foi duramente atingida pela pandemia.

Leia também|Equador autoriza o uso da vacina CanSino da China contra COVID-19

Em nível internacional, já foi demonstrado que as pessoas com algum tipo de imunodeficiência precisarão de uma terceira dose, disse Garzón a jornalistas. Vamos aplicá-lo, três meses após a segunda dose, em pessoas que atendam a certos parâmetros de distúrbios imunológicos.

Dados oficiais mostram que até domingo, o Equador vacinou 4,8 milhões de pessoas com duas doses e quase 10 milhões com uma dose.

Leia também|Ministro da Saúde do Equador renuncia após menos de 3 semanas, enquanto promotores investigam o lançamento da vacina

Garzón disse que o governo conclui seu plano inicial de vacinação, as autoridades de saúde farão pesquisas para determinar se um reforço deve ser usado na população em geral.

O Ministério da Saúde começou na terça-feira a usar a vacina de dose única desenvolvida pela China CanSino Biologics Inc em áreas de difícil acesso e em prisões.

Já estamos vendo ... diminuições na porcentagem (de ocupação de leitos hospitalares), disse Garzon.

O Equador relatou cerca de 500.000 infecções e cerca de 31.900 mortes confirmadas ou prováveis ​​mortes por COVID-19.